Minha gravidez parte 01

Olá Galerinha, como prometi estou aqui para falar da minha gravidez e continuo esperando seus testemunhos para serem contados aqui.
02 (2)Então, eu como a maioria das pessoas, minha gravidez não foi planejada mas foi muito esperada, quando descobri fiquei muito ansiosa pois era minha primeira gestação e eu não sabia o que vinha pela frente, tentei me consultar com minha médica antiga, mas ela é muito concorrida e eu não pretendia todos os meses ficar numa sala esperando horas para ser consultada, então procurei alguns outros médicos até que decidi por uma no hospital onde seria o parto, a gravidez estava indo muito bem, eu não senti nada, apenas poucas alterações na pressão, havia feito todos aqueles exames que se faz quando descobre a gestação e tudo tranquilo.

DSC00515DSC00670 (2)Os meses foram passando, o bebê desenvolvendo bem, a médica passava as ultrassonografias de rotina, no quarto mês descobrimos o sexo, estava tudo tranquilo, mas chegou um ponto da gravidez quase 7 meses, que eu achei estranho a médica não pedir para repetir os exames de sangue, eu nunca havia engravidado mas imaginava que alguns exames deveriam ser repetidos para saber se a grávida não está anêmica ou com açúcar alto ou outras complicações, eu não me lembro se cheguei a perguntar isso pra ela, mas sei que ela não pediu, então falei com uma médica no meu trabalho que fez um pedido com esses exames, fiz os exames, peguei o resultado e eu mesma já fui conferindo tudo, reparei que as plaquetas* estavam quase metade do valor indicado como normal, no dia da consulta levei os exames e mostrei a médica, ela olhou os exames e me perguntou porque eu fiz aqueles exames (é mole isso?), eu disse que já que ela não pedia eu falei com outro médico. Ela deu uma olhada rápida e já ia me devolvendo os resultados quando perguntei se ela tinha visto a quantidade de plaquetas e se aquilo era normal, aí ela olhou e ficou toda sem graça, perguntou se eu tinha ficado doente ou algo do tipo e eu disse que não, então ela me encaminhou para um hematologista. Pelo meu plano o hematologista mais perto era no centro da cidade, quase duas horas de viagem de ônibus, mas marquei e fui, lá o médico me explicou que o valor que estava ainda era aceitável para uma gravidez, mas se começasse a baixar mais teria que procura-lo, pois poderiam ser umas duas doenças que eu não gravei o nome e pediu que eu refizesse os exames a cada 15 dias, voltei na minha médica passei tudo isso pra ela e fiquei acompanhando com exames e as plaquetas continuaram descendo.
A médica pediu que eu voltasse no hematologista, mas não consegui marcar com o mesmo então marquei com outra médica, fui na consulta com ela no dia 09 de dezembro de 2010,  fui com minha mãe, chegando lá e ela perguntou se eu sentia alguma coisa e eu disse que não, perguntou sobre a pressão e eu falei que estava um pouco alta, ela ficou preocupada porque a medicação que usaria para controlar as plaquetas aumentaria a pressão e como eu estava grávida pressão alta é mais grave ainda. Então antes de fazer qualquer coisa ela verificou minha pressão e estava alta, então me colocou em desespero, falou que eu estava em pré êclampsia e que deveria sair dali e procurar uma maternidade urgente, falou pra ir em qualquer uma, mesmo que fosse publica, me passou uma medicação e mandou eu comprar numa farmácia na esquina e tomar lá mesmo. Eu olhei para minha mãe e fiquei meio perdida, porque eu não queria ir pra qualquer maternidade e achei que a médica tinha exagerado um pouco, liguei para o plano de saúde e a maternidade mais próxima de onde eu estava era o Hospital Pasteur no Méier um bairro da zona norte do Rio, a viagem até lá levaria de 40 a 60 minutos dependendo do transito, fomos pra lá, chegando lá fui rapidamente atendida, toda monitorada, fizeram mais exames, me senti um robô com tantos aparelhos, eles controlaram a pressão o resultado do exame de sangue daquele dia deu que as plaquetas haviam baixado mais ainda, eu havia informado a médica do plantão que no dia seguinte seria minha consulta então ela me liberou dizendo que o bebê já estava bem formado e que ela fosse minha médica ela tiraria a criança, porque seria mais risco usar medicamento para tratar do que tirar a criança antes do tempo. Fui pra casa já de madrugada, meu marido e meu irmão já estavam no hospital esperando para nos buscar, fui descansar um pouco para no dia seguinte ir para a consulta.

*As plaquetas pra quem não sabe tem a  função de formação de coágulos, participando portanto do processo de coagulação sanguínea, ela que faz com que o sangue pare de jorrar no caso de um corte, ou algum tipo de ferimento, evitando assim uma hemorragia. A baixa de plaquetas chama-se Trombocitopenia (ou plaquetopenia), o valor mínimo é 150 mil  e no meu primeiro exame estava 70 mil.

Vou dividir a história em três partes pra não ficar um post muito longo.

Parte 02

https://patricionico.wordpress.com/2014/11/11/minha-gravidez-parte-02/

Parte  final

https://patricionico.wordpress.com/2014/11/11/minha-gravidez-parte-final/

Anúncios

3 pensamentos sobre “Minha gravidez parte 01

  1. Pingback: Minha gravidez parte 02 | Patriciônico

  2. Pingback: Minha gravidez parte final | Patriciônico

  3. Pingback: 100 posts | Patriciônico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s